fbpx

PARA QUE SERVE A MEDICINA DO TRABALHO?

13 jan 2020 Notícias

As relações de trabalho estão sujeitas a normas e princípios vigentes que assumem nitidamente um caráter protecionista com relação ao empregado. Afinal, trata-se de uma gradual evolução das iniciativas que visam a melhoria das condições do trabalho humano, buscando oferecer uma rotina mais digna. Nesse cenário, você sabe para que serve a medicina do trabalho?

Ler
Empresa de serviços de medicina ocupacional Barra RJ

Medicina do Trabalho na Barra da Tijuca RJ

9 jul 2018 Notícias

A CEMERJ dispões de uma unidade móvel totalmente equipada para o atendimento em locais estratégicos, fazendo com que a empresa parceira reduza os custos com deslocamento e perda de produtividade devido a ausência no trabalho dos funcionários colaboradores para a realização dos exames.

Desta maneira, o funcionário colaborador, permanece pouco tempo fora da sua atividade podendo retoma-la logo após a realização dos exames.

Nossa Unidade Móvel é totalmente equipada para melhor atender nossos clientes nos exames mais frequentes.

Medicina Ocupacional Barra da Tijuca

Medicina Ocupacional Barra da Tijuca

Exames medicina do trabalho RJ

Homens são as maiores vítimas de acidente de trabalho notificados no HGE

Abril é o mês marcado para lembrar vítimas de acidentes de trabalho, bem como sensibilizar sobre a importância da prevenção destes acidentes. Somente no Hospital Geral do Estado (HGE), mais de três mil acidentes causados no trabalho foram notificados em 2016 e no início de 2017. Homens de 30 a 39 anos lideram o ranking.

Segundo dados divulgados pelo HGE, os números apontam que trabalhadores da construção civil e obras públicas são os que mais dão entrada no hospital por acidentes graves causados durante a execução do trabalho. Logo abaixo vem os trabalhadores de agropecuária em geral e trabalhadores de serviços diversos. Os números somam 3946 de casos notificados.

O engenheiro de segurança do trabalho do Centro de Referência de Saúde do Trabalhador (Cerest) Paulo Fernandes, comentou sobre os números do HGE e afirmou que poucas empresas emitem a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), bem como unidades de saúde de alguns municípios não notificam estes acidentes.

De acordo com Paulo, a falta de notificação do acidente pode prejudicar na inspeção, visto que os dados não são passados corretamente para o Cerest. Segundo ele, a falta de informação pode ser um dos fatores que leva o trabalhador, que foi vítima de acidente no trabalho, a não especificar na hora de realizar o atendimento médico.

“O HGE tem notificado alguns dos acidentes, mesmo assim o pessoal da vigilância do Cerest tem trabalhado com a questão da importância e da necessidade de fazer a notificação desses agravos. Uma vez notificando a gente vai fazer inspeção no local para verificar qual o problema e tentar sugerir sugestões de melhorias para evitar acidentes”, acrescentou.

Segundo Fernandes, quando uma empresa apresenta um número elevado de casos de acidentes uma equipe de técnicos vai ao local para verificar o motivo dos acidentes. “Nós fazemos a investigação e obviamente de forma educativa e informativa vemos o que está acontecendo e o que pode ser feito. Conversamos com o trabalhador e com a empresa para melhorar a condição de trabalho”.

O engenheiro de segurança do trabalho aponta para a sensibilização da população trabalhadora para que esteja mais atenta a prevenção, trabalhando de forma segura e seguindo os procedimentos de segurança que a empresa oferece. Aos profissionais da saúde, para que estejam atentos a identificar agravos na saúde do trabalhador e assim desenvolver planos e projetos na prevenção de unidades que afetam a população trabalhadora.

Por Joyce Marina – Colaboradora

Fonte: http://www.cadaminuto.com.br/

EXAME MEDICO TRABALHISTA BARRA DA TIJUCA RJ

Supermercado aposta na segurança dos funcionários para evitar acidentes

Para evitar que acidentes de trabalho aconteçam, a Rede de Supermercados Comper aposta na segurança dos funcionários com treinamentos e os incentiva a usar equipamentos de proteção individual, entre outras medidas. E essa atenção é bastante difundida neste mês durante a campanha “Abril Verde”, movimento que tem como proposta informar e sensibilizar sobre a importância da prevenção e da redução dos acidentes de trabalho.
Conforme Edvaldo Conceição, técnico em segurança do trabalho do Comper, a formação e o treinamento dos funcionários são feitos na unidade da Brilhante antes de começarem a trabalhar nas 12 lojas em Campo Grande. Segundo ele, o EPI (Equipamento de Proteção Individual), por exemplo, é obrigatório, de acordo com o que determina a NR (Norma Regulamentadora) 12 do Ministério do Trabalho.
Edvaldo ressalta que os funcionários que trabalham repondo materiais usam uniformes, botas antiderrapantes e cintos ergonômicos. Já aos açougueiros é determinado que usem tocas, aventais, botas antiderrapantes, duas luvas (uma de aço que protege a pessoa de cortes e outra por cima para higiene no manuseio das carnes) e japonas térmicas (casacos) para entrarem e saírem das câmaras frias.
Nas padarias e cozinhas, além dos uniformes, tocas, aventais, botas antiderrapantes, luvas normais, é recomendado que os funcionários utilizem luvas térmicas na hora de mexerem nos fornos. Como essas pessoas mexem com perecíveis, participam de cursos específicos.
Os funcionários que são contratados pelo Comper, antes de começarem a trabalhar já fazem o curso de Treinamento de Integração, que os ensina a respeito dos termos e normas para a segurança geral do trabalho, independentemente dos cargos. No curso são abordados conceitos de segurança do trabalho; noções de segurança e prevenção de acidentes; importância do uso de EPI, sua conceituação, assim como tudo relacionado à Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes).
“No treinamento explicamos as regras para segurança do trabalho, os benefícios e a importância desse assunto para cada cargo que será ocupado. É essencial para formação de cada um deles saber disso, pois a rede quer que a cultura da segurança do trabalho esteja na consciência dos funcionários”, destaca Edvaldo. “Nossa preocupação é que o funcionário trabalhe sempre protegido e sem nenhum acidente, queremos o melhor para eles e por isso ensinamos e fiscalizamos tudo sobre segurança do trabalho”, arremata.
Números – O dia 28 de abril é a data escolhida pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) para celebrar o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente de Trabalho.
O Brasil registra anualmente mais de 700 mil acidentes de trabalho, 550 mil deles com CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) registrada. Segundo dados do Ministério da Previdência Social, em 2013 cerca de 271 mil trabalhadores ficaram mais de 15 dias afastados do trabalho em virtude de acidente de trabalho ou doença ocupacional. Há ainda o registro de 14.800 casos de invalidez permanente e 2.800 mortes, todos relacionados a acidentes de trabalho ou doenças ocupacionais.
Em Mato Grosso do Sul, só no ano passado foram registrados 1.700 acidentes de trabalho com 15 vítimas fatais; a maioria nas áreas de indústria, enfermagem e rural.

Fonte – http://www.msnoticias.com.br

1 2

Search

+
Open chat